O Brasil gerou 142.690 empregos com carteira assinada em 2020, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta quinta-feira (28).

Esse resultado é a diferença entre as contratações e as demissões. No ano passado, o país registrou 15.166.221 contratações e 15.023.531 demissões.

De acordo com dados oficiais, esse foi o terceiro ano seguido com geração de empregos formais. Entretanto, foi o pior resultado para um ano fechado desde 2017 – quando foram fechadas 20.832 vagas com carteira assinada.

O resultado positivo aconteceu apesar da pandemia do novo coronavírus. A estimativa mais recente dos economistas dos bancos é de que o PIB brasileiro vai cair 4,3% neste ano. Nos últimos meses, porém, dados já apontam para uma recuperação do nível de atividade e saída da recessão.

Segundo o Ministério da Economia, mesmo com o crescimento dos empregos formais entre julho e novembro, ainda não houve recuperação das perdas registradas entre março e junho deste ano. No período, o Brasil registrou 1,618 milhão de demissões a mais do que contratações.

De julho a novembro, foram abertas 1,46 milhão de vagas com carteira assinada. Com o resultado positivo de janeiro e fevereiro, porém, o ano fechou no positivo — confirmando uma previsão do ministro da Economia, Paulo Guedes.

Em dezembro de 2020, houve fechamento de vagas. Esse é um mês que tradicionalmente há demissões de trabalhadores com carteira assinada.

Em dezembro do ano passado, foram fechadas 67.906 vagas formais. No mesmo mês de 2019 por exemplo, as demissões superaram as contratações em 307 mil vagas.

Fonte: https://g1.globo.com/economia/noticia/2021/01/28/brasil-cria-14269-mil-postos-formais-de-trabalho-em-2020.ghtml