Você já ouviu falar nesse termo engraçado dentro do mercado financeiro? O investidor Valdir Piran considera que a denominada antecipação no recolhimento do Imposto de Renda, recebe esse nome de come-cotas pois é um imposto silencioso que deve ser levado em consideração ao se aplicar em um fundo de investimento. Por isso, levando em conta a importância desse termo que difere no final dos seus rendimentos, leia o artigo até o final e compreenda como esse conceito funciona.

Trata-se de uma taxa, criada em 2004, num período de crise econômica, com o fito de antecipar a arrecadação anual de impostos — como citado anteriormente. Como entende o empresário Valdir Piran, o come-cotas é recolhido de forma semestral, sempre nos meses de maio e novembro, diferente de outros ativos em que o valor só é descontado no resgate da aplicação.

Caso você não saiba, foi um sistema criado pelo governo federal, sendo aplicado em fundos que possuem longo prazo (180 dias), sob alíquota de 20%, enquanto que aos de períodos menores, incidem sobre aqueles que são tributados em 15%. Além disso, como pensa o presidente do Grupo Piran, Valdir Piran, há uma legislação heterogênea que engloba esse sistema particular.

Como já mencionado, essa antecipação de cobrança do Imposto de Renda, varia conforme o tipo de fundo de investimento, que podem ser: FIX (Fundos de Renda Fixa), FIA (Fundos de Ações), FIC (Fundos Cambiais), FIM (Fundos Multimercado), FII (Fundo Investimento Imobiliário) e FIP (Fundo de Investimento em Participações).

Na prática como a come-cotas funciona?

Já vimos que o come-cotas é cobrado semestralmente, especificamente no último dia útil dos meses de maio e novembro. Sendo assim, podemos perceber que é um sistema considerado simples e que não possui interferência do investidor, já que é uma cobrança automática. Logo, a partir disso surgiu o apelido de come-cotas, pois houve uma redução das cotas que não foi realizada pelo investidor.

A ideia principal desse sistema era realizar essa cobrança adiantada dos fundos, ao invés de esperar que os investidores resgatassem o investimento, de forma a organizar as contas. Lembrando que esse adiantamento acontece apenas para os fundos abertos, ou seja, aqueles investimentos em que os investidores possuem a opção de resgatar o valor no momento que achar melhor e propício — acrescenta o empresário Valdir Piran. 

Com esse antecipamento, a porcentagem do seu investimento passa de compor os chamados “juros sobre juros”, você acha isso bom ou ruim? Saiba ainda, como entende o investidor Valdir Piran que o valor de referência desse sistema está inteiramente relacionado com a valorização das cotas, e não com seu valor original. Assim, é importante sabermos que essa tributação possui regras específicas que variam de acordo com os fundos, logo é importante se manter atento no assunto.