Para Sergio Wilfrido Vasques Benitez, exímio cozinheiro, tanto a cozinha italiana quanto a cozinha francesa são clássicas no mundo ocidental e, apesar de no Brasil ambas serem apreciadas, muito se discute com relação às principais diferenças entre uma e outra, afinal de contas, são bastante próximas, seja geograficamente falando, seja culturalmente. Desse modo, se você quer saber mais sobre esse assunto, não deixe de ler este artigo até o final.

Em primeiro lugar, vale ressaltar um dos principais pontos de divergência entre uma e outra: o modo como é servido. O empresário Sergio Wilfrido Vasques Benitez explica que a cozinha italiana é “à moda brasileira” (ou seria a cozinha brasileira à moda italiana?), visto que o prato principal é servido sem grandes cerimônias, isto é, é posto à mesa e fim, com tanto fartura que, às vezes, se assemelha até ao exagero na visão de alguns.

Em contrapartida, a cozinha francesa serve os pratos em sequência, geralmente, isto é, com uma entrada, prato principal e a sobremesa. Sergio Wilfrido Vasques Benitez acredita que, para os brasileiros, o jeito francês não conversa muito com o jeito do Brasil, especialmente com as pessoas vindas do nordeste, uma vez que é muito mais comum que, assim como os italianos, nós nos sirvamos “de uma vez”, como tudo a que se tem direito.

Além disso, dentre outras nuances, Sergio Wilfrido Vasques Benitez explica que a culinária italiana trabalha com menos ingredientes — o que não torna seus pratos menos saborosos —, de modo que dois alimentos chave não poderiam ser outros senão o tomate e o azeite. Por outro lado, a culinária francesa é mais delicada, menos rústica e super detalhista, trabalhando com diversos alimentos, apesar de sua base ser a manteiga e o creme de leite.

No entanto, apesar disso, pode-se afirmar que ambas as cozinhas são, incontestavelmente, agradável a todos os paladares, de modo que, pelo menos entre os brasileiros, a disputa entre os países torna-se um tanto quanto boba. Por isso, para Sergio Wilfrido Vasques Benitez, saber apreciar as duas agrega muito valor a quem se dispõe a isso. 

Isso porque, de acordo com o pensamento de Sergio Wilfrido Vasques Benitez, os brasileiros também são mestres em culinária, principalmente pelo fato de que consegue deixar tudo gostoso, seja através de misturas de ingredientes, seja através da junção de duas culturas, tais como a da Itália e da França. Afinal de contas, quem nunca viu um jantar com comida típica italiana sendo servido em sequência, ou um jantar com comida típica francesa servido de uma vez? Nós já vimos!