O Distrito Federal atingiu um recorde histórico e registrou 2.583 divórcios em 2021. O número registrado no ano passado é 40% maior que o verificado em 2020, quando 1.850 casais se separaram. Os dados são do Colégio Notarial do Brasil (CNB), que faz o balanço desde 2007.

E o número continua crescendo. Até março deste ano, já foram realizados 609 divórcios na capital. O total é maior que o registrado em 2021, quando 585 casais oficializaram a separação no mesmo período. Em 2020, foram 396 divórcios no primeiro trimestre.

No ranking de aumento das separações aparecem, atrás do DF, o Amapá, com 33%; e o Acre, com 27%. Pernambuco (26%) e Roraima (19%) também figuram na lista.

O CNB aponta que a possibilidade de realizar o divórcio online pode ter impulsionado o número. Para oficializar a separação por essa modalidade, é preciso que o casal esteja em comum acordo e não tenha pendências judiciais com filhos menores ou incapazes.

“Em maio de 2020, o CNJ autorizou que os tabeliães do Brasil pudessem lavrar escrituras eletrônicas, colhendo assinaturas dos interessados de forma remota, com uso de certificado digital”, explica Hércules Alexandre Benício da Costa, presidente do Colégio Notarial do Brasil no DF (CNB-DF).

Anne Barros, advogada especialista em direito de família, aponta que, apesar de os casais não se casarem pensando no divórcio, é importante considerar todos os cenários para se prevenir caso a separação aconteça.

“Escolher um regime de bens adequado é fundamental tanto para a melhor a convivência do casal quanto para o momento do divórcio. Em um momento de tanta fragilidade emocional, a escolha correta do regime de bens pode facilitar bastante”, explica a advogada.

Anne Barros diz ainda que, durante o curso do casamento, o casal pode optar por mudar o regime de bens, caso seja necessário.

Casamentos

Ao mesmo tempo, o número de casamentos aumentou no Distrito Federal em 2022, quando comparado a anos anteriores. Entre o primeiro trimestre deste ano e o mesmo período de 2021, o crescimento foi de 2,81%.

De acordo com o Colégio Notarial do Brasil, até março, os cartórios da capital oficializaram 4.754 uniões. No ano passado, foram 4.624 casamentos registrados nesse período. Já em 2020, o DF teve 4.212 uniões registradas no primeiro trimestre.