O Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes é graduado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro e doutorado pela Universidade Federal de São Paulo, atualmente exercendo a função de cirurgião geral, mas com especialidade em prostatectomia robótica, uma cirurgia minimamente invasiva, contra a cura do câncer de próstata. Com mais de 20 anos de experiência na área, o especialista explica o que é andropausa, quais os sintomas e como lidar com esse problema.

 

Andropausa é um termo criado em analogia à menopausa, para nomear a fase em que, nos homens de 40 e 55 anos, ocorre queda da produção de testosterona, que faz com que surjam sintomas semelhantes ao da menopausa nas mulheres, como alterações do humor, diminuição da libido, e cansaço excessivo, por exemplo. Os níveis de testosterona variam entre os homens, normalmente, quanto mais velho, menor a quantidade. Por isso, os sintomas e o momento podem variar muito de um homem para o outro.

 

O Mestre e Doutor em urologia Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes diz que os principais sintomas da andropausa são:

  • Alterações na função sexual;
  • Perda de massa muscular;
  • Diminuição de pelos no corpo;
  • Ondas fortes de calor;
  • Dificuldade de concentração e ereção.

 

Na presença de qualquer um desses sinais, consulte um médico urologista para que os níveis de testosterona sejam testados, assim, podendo avaliar a necessidade de como e quando iniciar o tratamento. Além de um acompanhamento de um endocrinologista, de acordo com os sintomas apresentados.

 

O Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes conta que, em alguns casos, os homens que não produzem níveis consideráveis de testosterona naturalmente ocorrem para a reposição hormonal para ajudar a aliviar os sintomas da andropausa. O método é recomendado para prevenir o desenvolvimento de complicações cardíacas, anemia e osteoporose, sem contar com a melhora da qualidade de vida. A técnica pode ser feita de duas formas principais:

  • Medicamento: os comprimidos de testosterona aumentam os níveis do hormônio e, desta forma, diminuem os sintomas da andropausa, com poucos efeitos colaterais.
  • Injeção: é o método mais usado no Brasil, com a mesma função do comprimido, mas com menos propensão a riscos colaterais do que a primeira.

 

O Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes ressalta a importância de hábitos saudáveis como forma de prevenção natural. Então pratique exercícios físicos regularmente, pois ajuda a evitar os incômodos da andropausa e a evitar doenças associadas à queda da produção de testosterona.