De forma geral, a classificação dos caminhos é feita considerando a quantidade de eixos do veículo, a capacidade de carga máxima ou pela variação com o número de pneus, os modelos com duas rodas são chamados de simples, e os com quatro, de duplos. Fernando Siqueira Carvalho explica que é isso que diferencia se o modelo é “toco” ou “trucado”. Os nomes variam não apenas pelo tamanho ou forma, mas para atender as mais diversas demandas de transporte, facilitando a vida dos caminhoneiros.

No caso do caminhão “toco” (semipesado), é o nome popular para o veículo do tipo 4×2, sendo o modelo mais simples, que costuma ser a categoria de entrada para grande parte dos caminhoneiros. Tem um eixo simples na carroceria (um eixo frontal), e um traseiro (para as rodas traseiras), simples. Sua capacidade é de até 6 toneladas, podendo variar de acordo com o projeto de cada montadora, com peso bruto de até 16 toneladas, e comprimento máximo de 14 metros. O caminhão tipo “toco” é perfeitamente ideal para transitar em ambientes urbanos, principalmente pela carroceria grande baixa e baú. É bastante usado como baú para mudanças, transporte de carga seca, cargas gerais e empregado como caminhão caçamba de areia, pedra e terra.

Já o caminhão “trucado” (pesado) possui um terceiro eixo localizado na carroceria, oferecendo uma maior estabilidade lateral. Neste caso, Fernando Siqueira Carvalho explica que há menor risco de acidente do tipo L ou de efeito canivete e que também há menor risco de o veículo ser multado por excesso de peso nos eixos, além de correr menos risco de ser multado pelo excesso de carga. Por terem uma capacidade entre 10 a 14 toneladas, um peso bruto máximo de 23 toneladas, e comprimento de 14 metros, os caminhões tipo “trucado” têm dois modelos: a carroceria aberta com grade baixa e a carroceria aberta com grade alta.

  • Carroceria aberta com grade baixa: é direcionado para o transporte de cargas secas, mercadoria encaixotada, engradados e barras e chapas de aço.
  • Carroceria aberta com grade alta: são ideais para levar produtos a granel, como cereais, milho, soja e feijão, mas também podem carregar adubos, produtos em caixa e engradados.