Caracterizada pela perda involuntária da urina, a incontinência urinária afeta muitos homens, principalmente após a retirada ou o aumento da próstata. O Dr. Marco Antonio Quesada, médico especialista em urologia conta que o tratamento pode ser feito com o auxílio de remédios, fisioterapia, e exercícios pélvicos, sendo em casos mais graves, indicado cirurgia.

Marco Antonio Quesada ressalta que os possíveis sintomas são:

gotas presentes na cueca após urinar;
irregular de urina;
perda de urina nos momentos de esforço, como rir, tossir ou espirrar.

A doença pode surgir em qualquer idade, sendo mais comum em pessoas com mais de 45 anos, geralmente acarretando problemas de preocupação, angústia, ansiedade, e mudança na vida sexual.
Marco Antonio comenta ainda que a maioria dos homens que retiram a próstata, conseguem controlar esse problema por até um ano, porém, se ultrapassar este período, o mais indicado é a cirurgia, na qual o urologista coloca no paciente um esfíncter urinário artificial ou sling, uma obstrução na uretra que evita a perda de urina.

Segundo Marco Antonio Quesada, outras possíveis causas da doença podem se dar por:

Hiperplasia benigna da próstata;
A perda do controle dos músculos envolvidos, principalmente nos idosos;
Alterações cerebrais ou doença mental afetando principalmente idosos com Parkinson ou que tiveram AVC;
Problemas na inervação da bexiga.

Além disso, o uso de medicamentos podem resultar na perda de urina por diminuir o tônus muscular pélvico, sendo assim imprescindível que o indivíduo não se automedique, mas busque auxílio de um médico qualificado.

O Dr. Marco Antonio Quesada está à disposição para te auxiliar, contate-o!