Assim como as mulheres se submetem a exames preventivos para prevenir câncer de mama, útero e ovário, os homens também devem desenvolver o hábito de avaliações de rotina para prevenir doenças do sistema urinário, como hiperplasia da próstata, cálculos renais e câncer de próstata. A seguir, o Doutor Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes apresentará quatro doenças urológicas que muitas pessoas desconhecem. Essas doenças reforçam a importância dos cuidados com a saúde dos homens e das consultas regulares com urologistas – pelo menos uma vez por ano -, especialmente após os 40 anos. Assim que esses problemas surgirem, a consulta deve ser realizada imediatamente. Uma vez determinado no início, mais fácil será o tratamento.

  • Hiperplasia benigna da próstata (HPB)

Isso se deve ao aumento da próstata, causado pela ação da testosterona, que atinge principalmente homens com mais de 45 anos. Esse problema pode levar à obstrução parcial ou total da uretra, afetando a vida sexual e o cotidiano da pessoa. Os indivíduos podem apresentar alguns sintomas, como dificuldade para urinar, necessidade de se forçar a urinar, assim como o aumento do número de idas ao banheiro para urinar e, às vezes, alguns pacientes relatam sentir dor ou desconforto ao urinar. Além do envelhecimento, outros fatores que afetam o desenvolvimento da hiperplasia benigna da próstata incluem diabetes, hipertensão, obesidade, colesterol de lipoproteína de baixa densidade (colesterol bom popular), inflamação da próstata, sedentarismo e hereditariedade. O diagnóstico geralmente é feito pelo histórico clínico do paciente e exames como o de toque retal e ultrassom da próstata.

  • Prostatite

Processo inflamatório ou infeccioso na glândula prostática, que interfere no funcionamento do órgão, na liberação do PSA (antígeno prostático específico). Normalmente, essa doença atinge os homens na faixa dos 20 aos 40 anos e também depois dos 60 anos, devido a imunidade baixa. O Doutor Marco Fontes explica que existem vários tipos de prostatites, mas as mais comuns são a aguda e a crônica:

  • Prostatite aguda: é causada por bactérias e geralmente está associada a infecções do trato urinário, porque a urina passa pelo meio da próstata, de modo que as infecções urinárias podem causar os mesmos problemas nas glândulas. Além disso, nos casos em que ocorre manipulação da próstata devido, por exemplo, a uma biópsia, pode ocorrer a doença. Os sinais de prostatite aguda incluem: febre alta, mal-estar, calafrios, dores nas costas, músculos, articulações e períneo (área entre o ânus e o escroto). Os sintomas do sistema urinário são dor ao urinar, micção frequente e urgência durante o dia e a noite.

  • Prostatite crônica: é uma doença que pode ser causada por infecções bacterianas ou microbianas e dura meses ou até anos no corpo. Geralmente, o sintoma é dor ou desconforto na região pélvica. Esse sintoma é persistente ou recorrente e pode ou não estar relacionado a sintomas urinários e sexuais. Outros sinais desse tipo de doença incluem dor no períneo, abdômen inferior, testículos e pênis, especialmente durante ou após a ejaculação.

  • Bexiga hiperativa

A doença é caracterizada por problemas característicos com a micção, como a vontade extrema de urinar. A bexiga hiperativa ocorre em homens com mais de 50 anos, mas é mais comum depois dos 75, pois, a partir dessa idade, alterações fisiológicas relacionadas ao envelhecimento, como diminuição da capacidade da bexiga em segurar a urina,são consequências do enfraquecimento muscular da região pélvica.

  • Estenoses de uretra

Uretrite (infecção do trato urinário) explica o Doutor Marco Fontes, geralmente é causada por decorrência de doenças como tuberculose, do uso de sondas ou operações cirúrgicas na uretra, que podem causar cicatrizes nas passagens por onde passam a urina e o sêmen. Então, o tecido fibroso, eventualmente, bloqueia a uretra parcial ou completamente, resultando em uma chamada estenose.