O PSA (sigla para Antígeno Prostático Específico) consiste em uma enzima produzida na próstata que serve como indicativo para alterações na glândula, afirma o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes. É também indicativo para o câncer de próstata, sendo um exame importante que deve ser feito no mínimo a cada um ano.

 

Há o PSA total e o PSA livre, o primeiro diz respeito à quantidade de PSA presente no sangue, já o segundo se trata da quantidade de PSA que circula no sangue. Por um simples exame de sangue é possível identificar essas taxas no corpo.

 

A partir dos 45 anos é indicado realizar o exame de PSA pelo menos uma vez ao ano, salienta o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes. Como citado anteriormente, o PSA é um fator importante para diagnosticar possíveis alterações e distúrbios, como a inflamação e o câncer de próstata e a Hipertrofia benigna da próstata, a HBP.

 

Vale ressaltar que PSA vem da sigla em inglês Prostate-Specific Antigens, como dito, em portugues: Antígeno Prostático Específico. Além disso, é de suma importância consultar um médico para avaliar cada caso, pois os valores da PSA podem estar atrelados a uma infecção urinária, por exemplo.

 

Enfatiza-se, novamente, a importância de consultar um médico especialista tendo em vista os fatores sinalizantes do exame, ressalta o Dr. Marco Antonio Quesada Ribeiro Fortes, mestre e doutor em urologia pela Universidade de São Paulo e co-autor do livro Urologia Minimamente Invasiva.

 

Na maioria dos casos o exame de PSA é feito conjuntamente com o exame de toque retal, contudo, para ter a certeza de um carcinoma é realizado outros procedimentos e exames mais específicos.