Ao contrário do que se possa imaginar, a degustação de vinhos não é uma atividade exclusiva dos profissionais. Para que possa desfrutar desta experiência de imersão desde o início da escolha de um rótulo, Marco Antonio Carbonari, dono da vinícola Villa Santa Maria, preparou um guia completo de degustação de vinhos.

Se você não se lembra do último vinho que provou, do seu sabor e aroma, é sinal de que a forma como consumiu a bebida não deixou registro. A diferença entre beber e degustar vinho está aqui. É muito mais fácil beber, mas essas lembranças só servem para quem degusta. Então, se você é fascinado pelo mundo dos vinhos, ou apenas um novo conhecedor, e deseja saber mais sobre este universo, este artigo mostrará exatamente como conduzir uma boa degustação de vinhos.

A degustação de vinhos é uma atividade mais intimista com a bebida. Normalmente, ao comprar um rótulo, é de costume já ter a impressão de um sommelier, que avaliou a particularidade da bebida. Marco Antonio Carbonari comenta que a etapa de degustação divide-se basicamente em três etapas: análise visual, olfativa e gustativa. Mesmo que seja degustado com focos diferentes, como vertical e horizontal, essas três etapas permanecem as mesmas.

Para que o restante siga da forma correta, as etapas da degustação precisam ser feitas nas ordens estabelecidas, ou seja, a taça de vinho deve ter especificações padronizadas e, desde o primeiro estágio, a taça de vinho deve ser segurada na base ou na haste, para evitar que a bebida esquente – a temperatura ideal do vinho para degustação é entre 5 e 12 graus.

Então, o primeiro passo é olhar o vinho já na taça contra um fundo branco e analisar a intensidade da cor e a transparência do líquido. Também é importante verificar se há partículas de resíduos restantes das uvas. Em seguida, é preciso agitar levemente o vinho e cheirar profundamente. Marco Antonio Carbonari diz que o giro é necessário para fazer com que os aromas da uva sejam percebidos. Por fim é hora de beber. Com goles pequenos, o degustador deve manter a bebida na boca por cerca de 15 segundos, circulando por toda a região, pois só assim os diferentes gostos serão notados, como o doce, o ácido e o amargo, confirmando todo o restante do processo.

Numa degustação completa, deve-se beber até esvaziar a taça. Por isso, há quem cuspa o vinho, para não ficar bêbado após “enxugar” várias taças. Por isso lembre-se sempre de limpar o paladar com uma taça de água mineral.